[Sociologia Criativa – Parte 1] Educação Antirracista no Ensino Fundamental II

[Sociologia Criativa – Parte 1] Educação Antirracista no Ensino Fundamental II

Rosana da Silva Pereira

Abordagem sociológica no Ensino Fundamental, por quê não? Veja como uma aluna de graduação levou a alunos de 6º ano abordagens sociológicas introdutórias  na disciplina “Estudos Sociais Patrimoniais e Culturais do Brasil”. O conjunto do material contempla os seguintes temas: Política, Estado, Governo, Cidadania, Movimentos Sociais, Participação Política, Movimento Negro no Brasil e Ações Afirmativas. Neste post (parte 1 do material produzido) traremos a produção da Rosana que envolve o tema Educação Antirracista. O material encontra-se no fim do post em formato de imagem e em PDF .

A aluna do curso de licenciatura em Ciências Sociais, da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Rosana da Silva Pereira, desenvolveu um conjunto de materiais didáticos para sua aula de estágio em um turma de 6º ano do Ensino Fundamental. O estágio ocorreu sob a supervisão do professor Luis Flavio Reis Godinho (UFRB) e do professor gerente Alcides Moutinho (Escola Balão Mágico).

Como Rosana destacou, o Material Didático intitulado Sociologia Criativa, surge de um questionamento: Como ensinar sociologia para as crianças? Partindo disso, a proposta é aproximar as crianças e jovens da sociologia relacionando-a com o contexto a qual vivem”. A proposta foi buscou criar um material que tratasse elementos elementos sociológicos de forma divertida, criativa e comprometida com a educação. Esse seria o “lema” do material produzido pela Rosana.

Para a futura professora, trata-se de possibilitar que se  “olhe por trás das cortinas” a  partir de discussões em sala mediante a leitura e debates do material didático, o que impulsionaria o processo de ensino-aprendizagem, considerando as crianças como atores políticos na educação.

Segue o material produzido pela Rosana e aplicado em uma turma de 6º ano do Ensino Fundamental II, na escola Balão Mágico, localizada em São Félix-Bahia, na disciplina “Estudos Sociais Patrimoniais e Culturais do Brasil”.

 

Tema 1: Educação Antirracista

 

Apresentação do projeto:

 

Educação Antirracista

Para introduzir o tema, foram usados quebra-cabeças que chamasse atenção para questões raciais.

 

Num segundo momento foram confeccionado bonecas de panos, mais precisamente Abayomi, que são é uma boneca que representa felicidade, tem origem iorubá. E assim ela tem uma história massa, durante a escravidão, as mães faziam com os panos de suas roupas bonecas assim e davam para seus filhos, para que eles não deixassem de lembrar delas e que as bonecas fossem símbolos de proteçao. Uma coisa q expliquei hj é que elas faziam assim pequenas para que os meninxs pudessem esconder em suas roupas ou em seus cabelos e hoje existem muitas oficinas de abayomis como símbolo de resistência negra no Brasil.

 

Versão em PDF AQUI

Cristiano Bodart

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Docente do Centro de Educação da Ufal.

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: