Discussão preliminar em torno do conceito de Ideologia


Por Cristiano das Neves Bodart


Certamente o conceito de ideologia é bastante polêmico devido ao fato de suscitar diversas reflexões e debates. Esse conceito sofreu diversas transformações desde sua origem, ainda na Revolução Francesa, até chegar à contemporaneidade.
O conceito de ideologia que quero aqui apresentar vai além do conceito clássico de Karl Marx e Friedrich Engels, a partir do qual ideologias seriam as ideias produzidas pela classe dominante para a manutenção do status quo, ou seja, um instrumento de dominação de classe, eliminado as contradições, sendo ela uma ilusão, isto é, abstração da realidade (CHAUI, 1980).
A ideologia a qual Marx e Engels se referem é, por tanto, a ideologia da classe dominante. Para eles (1965, p. 14), “as ideias da classe dominante são, em cada época, as idéias dominantes, isto é, a classe que é a força material dominante da sociedade é, ao mesmo tempo, sua forma espiritual”.  Ao afirmar que o conceito que quero aqui apresentar  vai além do conceito maniqueísta é por que retomo as contribuições de Paul Ricoeur (1977), o qual parte da ideia desses dois teóricos (Marx e Engels) para apontar novos elementos compreensivos em torno do conceito de ideologia, os quais são muito úteis neste trabalho.  Para Ricoeur a ideologia deve ser compreendida em suas três instâncias, sendo elas: i) função geral; ii) função de dominação e; iii) função de deformação.
A função geral, para Ricoeur (1977), é sua função de mediadora na integração social, na coesão do grupo. A função de dominação está ligada a produção de crenças legitimadoras da dominação. A função deformadora trata-se da concepção marxista, sendo o fenômeno ideológico aquilo que torna a imagem pelo real, o reflexo pelo original, ou seja, a deturpação da realidade a fim de manipular os dominados.

Referências
CHAUI, M. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 1980.

MARX, Karl; ENGELS, F. A Ideologia Alemã. Trad. W. Dutra e F. Fernandes. Rio de Janeiro: Zahar, 1965.

RICOUER, P. Interpretação e Ideologias. Trad. H. Japiassu. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião a respeito desse tema ou a respeito da postagem. Dê mais vida ao blog, comente!